Governo Federal habilita mais 458 leitos de UTI

1

Além das UTIs, o governo investiu em distribuição de EPIs para ajudar no combate ao novo coronavírus

Publicado em

13/05/2020 19h42

Nesta terça-feira (12), o Ministério da Saúde habilitou mais 458 leitos de UTI para uso exclusivo dos casos graves ou gravíssimos vítimas da Covid-19. Desse total, 35 são leitos de UTI pediátrica. A população dos estados do Paraná, Bahia e Mato Grosso do Sul estão sendo contempladas. 

Somando essas novas habilitações, o Ministério da Saúde já entregou, somente entre abril e maio, 3.810 leitos de UTI, sendo 115 de UTI pediátrica, ao custo de R$ 550,5 milhões. Todos os estados já contam com incremento do custeio para os leitos habilitados. Outros pedidos estão em análise pela pasta.

No início de abril o Ministério da Saúde publicou a Portaria nº 568, que dobrou o valor do custeio diário dos leitos UTI Adulto e Pediátrico de R$ 800 para R$ 1,6 mil, em caráter excepcional, exclusivamente para o atendimento dos pacientes com o novo coronavírus. Com isso, esses leitos habilitados temporariamente já começam a receber o valor diferenciado do incentivo.

Proteção

Para garantir a proteção de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do enfrentamento à Covid-19, o Ministério da Saúde distribuiu 83 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todo o País. A oitava etapa de distribuição destes materiais pelo Ministério da Saúde foi encerrada na última semana, quando foram entregues novos quatro milhões de itens, como máscaras, luvas e aventais.

Ao todo, foram distribuídos pelo Ministério da Saúde 513,8 mil litros de álcool, 1,9 milhão de aventais, 33,6 milhões de luvas, 2,4 milhões de máscaras N955, 26,5 milhões de máscaras cirúrgicas, 82,3 mil óculos de proteção, 200,1 mil sapatilhas, 13,6 milhões de toucas e 124,6 mil protetores faciais. Os materiais são distribuídos para as secretarias estaduais de Saúde, que definem quais são os serviços de saúde que vão recebê-los, a partir de um planejamento local.

Os Equipamentos de Proteção Individual são usados por profissionais de saúde que prestam assistência ao paciente, como médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem, além da equipe de suporte que, eventualmente, precisar entrar no quarto, enfermaria ou área de isolamento. São de uso individual e se destinam a proteger estes profissionais de possíveis riscos de contágios.

Foto: Erasmo Salomão/MS

Gastos

O Ministério da Saúde já liberou R$ 11 bilhões em ações contra o novo coronavírus. Estão incluídos repasses diretos de recursos para estruturação dos serviços de saúde, além de aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) usados por profissionais de saúde, de testes de diagnóstico, medicamentos, respiradores, contratação de profissionais de saúde e habilitação de leitos de UTI para tratar pacientes com a doença.

“Queremos deixar claro tudo o que o Ministério fez e entregou até o dia de hoje. A gente sabe que ainda tem muito o que fazer, mas é importante detalhar o que temos feito. É um trabalho em conjunto com estados e municípios. O nosso foco sempre é cuidar das pessoas e a gente trabalha com total transparência” ressaltou Nelson Teich, ministro da Saúde.

O Ministério da Saúde investiu mais R$ 224 milhões para aquisição e distribuição de 83 milhões de Equipamentos de Proteção Individual, como máscaras cirúrgicas e N95, aventais, óculos de proteção, protetores faciais, luvas, sapatilhas e toucas, além de 537,6 mil litros de álcool em gel. Esses equipamentos são voltados para a proteção dos profissionais de saúde, que estão fazendo linha de frente e ajudando a combater a pandemia nos hospitais de todo o País.

No que diz respeito ao diagnóstico de coronavírus, o Ministério da Saúde também investiu R$ 654 milhões para aquisição de 2,1 milhões de testes RT-PCR, além de 4,8 milhões de testes rápidos doados pela Vale. Também foram comprados e entregues aos estados 557 respiradores, com um investimento do Governo Federal na ordem de R$ 31,9 milhões.

Além dos recursos destinados exclusivamente no combate ao novo coronavírus, desde janeiro, o Ministério da Saúde enviou R$ 32,9 bilhões de recursos para ações e serviços públicos de saúde. Esta verba é usada por secretarias estaduais e municipais de Saúde para custeio dos serviços e aquisição de insumos básicos para o funcionamento dos postos de saúde e de hospitais, por exemplo.

Clique aqui para acessar o painel online para acompanhamento da quantidade de leitos e insumos, como testes, máscaras, luvas, entre outros, disponibilizados em cada estado 

Com informações do Ministério da Saúde